Forças de Segurança da Paraíba prendem 24 pessoas eapreendem armas durante Operação Brasil Integrado do MJ

Forças  de  Segurança  da  Paraíba  prendem  24  pessoas  eapreendem armas durante Operação Brasil Integrado do MJ

As forças policiais da Paraíba participaram nos dias 7 e 8 de outubro da Operação Brasil Integrado, coordenada pelo Ministério da Justiça (MJ), por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), com o apoio das Polícias dos estados do Nordeste, além de Goiás e Distrito Federal. Os resultados da ação no país foram divulgados na tarde dessa sexta-feira (9), pelo ministro José Eduardo Cardozo, em Brasília (DF). Em território paraibano, foram efetuadas 24 prisões, entre flagrantes e cumprimento de mandados por crimes diversos, e apreendidos munições, revólveres, duas armas de fabricação artesanal, três rifles e sete espingardas.

 

Além disso, os órgãos operativos de Segurança no Estado ainda realizaram 1.087 abordagens a pessoas e 863 a veículos, e também 19 bloqueios terrestres e 42 patrulhamentos. O efetivo empregado foi de 207 policiais militares e 96 policiais civis.

 

O secretário executivo da Segurança e da Defesa Social da Paraíba, Jean Nunes, destacou a importância da participação do Estado na operação, pactuando ações com Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, além do Distrito Federal. “Estamos unindo forças com outras unidades da federação para fortalecer a segurança pública no país e enfrentar com eficiência o crime. Nesse sentido é importante a participação da Paraíba, que mobilizou suas forças policiais de acordo com o planejamento”, afirmou.

 

Balanço no Brasil – De acordo com o Ministério da Justiça, durante a operação foram presos 884 adultos suspeitos de terem praticado diversos crimes, sendo 86 assassinatos, além da apreensão de 130 armas de fogo e 854 munições. A Operação aconteceu do litoral do país ao Cerrado, sendo realizados 690 bloqueios e 1.728 patrulhamentos terrestres. Os dados gerais confirmam que foram abordadas 27.247 pessoas e 15.584 veículos. As ações se concentraram em rodovias, pontos de limite entre municípios e de divisa entre estados, além de áreas críticas nas regiões metropolitanas de cada estado. Também houve fiscalização de produtos perigosos, especialmente explosivos.

 

Foram mobilizados a cada dia 5,6 mil integrantes das Polícias Militar, Civil e Técnica (perícia), Federal, Rodoviária Federal, assim como reforços pontuais da Força Nacional de Segurança Pública, Corpos de Bombeiros, Guardas Municipais, Forças Armadas, Agência Brasileira de Inteligência e Sistema Penitenciário.

 

Prisões e apreensões em flagrante – O resultado geral da Operação Brasil Integrado foi o seguinte: prisão de 731 adultos em flagrante por diversos crimes – inclusive homicídios, roubo seguido de assassinato e lesão corporal seguida de morte – e outras 143 em cumprimento a mandados de prisão. Também foram apreendidos 102 adolescentes que cometeram atos infracionais durante a operação, sendo cinco por homicídio. As apreensões somaram ainda quatro quilos de explosivos e 105 quilos de maconha, 10,5 quilos de crack e 2,7 quilos de cocaína. As ações foram coordenadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ), órgãos federais envolvidos e as Secretarias de Segurança Pública dos Estados.

 

Todos os órgãos participantes trabalharam em esquema de atuação integrada, semelhante ao executado na Copa do Mundo, utilizando como unidade de referência o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), de Brasília, e os Centros Integrados de Comando e Controle (CICCs) estaduais, de Fortaleza, Natal, Recife, Salvador Goiânia e Brasília.

 

MJ vai implantar Centros Integrados nas capitais – Até 2018, o MJ deve instalar Centros Integrados nas outras 15 capitais dos estados, entre eles a Paraíba. Equipes técnicas realizaram reuniões no mês de setembro em João Pessoa, com representantes da Secretaria da Segurança e da Defesa Social da Paraíba e outros órgãos, a fim de iniciar o planejamento para que o Centro seja construído.

 

O Ministério da Justiça já havia coordenado outras seis edições da operação Brasil Integrado, sempre em parceria com os estados. A intenção do governo federal é perenizar o processo de integração permanente das polícias – Militar, Civil, Rodoviária e Federal – e outros órgãos, tendo como ponto central a utilização dos centros integrados de Comando e Controle criados para a Copa do Mundo e montados nas 12 cidades-sede da competição.