Polícia Civil cumpre mandado de prisão preventiva contra suspeito de fraudes em postos de combustíveis

Polícia Civil cumpre mandado de prisão preventiva contra suspeito de fraudes em postos de combustíveis

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Defraudações (DDF) da Capital, cumpriu na tarde desta segunda-feira (17) mandado de prisão preventiva contra Ivandi Simplício da Silva Júnior, de 28 anos. Ele tinha sido preso em flagrante na última sexta-feira (14), por falsificar documentos usados por empresas para abastecer veículos e, após levantamentos e denúncias, a DDF entrou com o pedido de mandado de prisão preventiva, para que o suspeito fique mais tempo preso e as investigações continuem. Até o momento, as fraudes realizadas por Ivandi Simplício somam mais de R$ 300 mil.

De acordo o delegado titular da especializada, Lucas Sá, a DDF prendeu em flagrante o suspeito, apontado como autor de diversos abastecimentos utilizando-se de vários artifícios, como o preenchimento de notas fiscais com informações falsas e utilização de fardamento de uma empresa da qual não mais fazia parte. “As investigações iniciais confirmaram que, apenas no último mês, o suspeito já havia realizado mais de 16 abastecimentos indevidos. Juntamente com o suspeito, foi apreendido um veículo em nome de uma empresa situada no Estado de Pernambuco, cuja propriedade não foi devidamente esclarecida. Logo após a prisão de Ivandi Júnior e divulgação das imagens do suspeito nos meios de comunicação, compareceram à delegacia, na manhã de sábado (15), mais duas outras vítimas, com diversas fraudes atribuídas à sua pessoa”, disse a autoridade policial.

As duas vítimas, também empresários e antigos empregadores do suspeito, informaram que ele desviou mais de R$ 300 mil de empresas que pertenciam aos empresários e que, em razão das fraudes praticadas, os estabelecimentos foram fechados, o que dá uma ideia do tamanho do prejuízo causado pelo suspeito. Ainda segundo o delegado Lucas Sá, os empresários informaram que o suspeito desviou valores, falsificou notas promissórias, contratou empréstimos consignados e fraudou cheques bancários em nome das empresas em que trabalhava.

“Após a descoberta das fraudes, os empresários informaram que ainda chegaram a conversar com Ivandi Júnior, buscando uma justificativa para a realização das fraudes, uma vez que o tinham em alta consideração e o tratavam como filho”, revelou o delegado, acrescentando que o preso ainda mentiu para os empresários, informando estar com um câncer em estado avançado, apresentando documentos, supostas fichas de atendimento e inclusive fotografias, simulando ainda estar sendo atendido no Hospital do Câncer de Recife (PE).

“Em razão da suposta doença informada pelo suspeito, os empresários decidiram não comunicar os fatos à Polícia naquela ocasião e chegaram a levar o suspeito algumas vezes até o hospital situado em Recife (PE), ocasião na qual o suspeito chegou a entrar na unidade de saúde, acompanhado de outra pessoa”, afirmou Lucas Sá.

O preso ainda é suspeito de ter um comparsa que entrava nas propriedades rurais de empresários paraibanos e furtava animais e outros materiais. Após todas essas informações, a DDF comunicou a prisão em flagrante à Justiça e diligenciou para que ele respondesse pelos diversos crimes. Ivandi Simplício Júnior foi conduzido ao Presídio do Róger, local em que permanecerá à disposição da Justiça. A DDF solicita que demais vítimas do suspeito compareçam à delegacia, para que ele responda por todas as condutas criminosas.