Polícia Civil cumpre mandados de prisão contra envolvidos em casos de roubo e latrocínio em João Pessoa

Polícia Civil cumpre mandados de prisão contra envolvidos em casos de roubo e latrocínio em João Pessoa

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) de João Pessoa, cumpriu nessa quarta-feira (5) dois mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento em casos de latrocínio e roubo na Capital.

De acordo com a delegada Júlia Valesca, o primeiro mandado a ser cumprido foi contra Matheus Araújo dos Santos, de 18 anos. Ele é apontado como um dos envolvidos no caso de latrocínio (roubo seguido de morte) no bairro do Cristo, no mês de junho e que teve como vítima o comerciante Júlio Leite Neto, de 71 anos.

“Na época do crime, dois adolescentes foram apreendidos e encaminhados para o Centro Educacional do Adolescente (CEA). Mas, nossas investigações indicavam a participação de uma terceira pessoa, que era maior de idade. O Matheus foi identificado e na quarta-feira cumprimos o mandado de prisão preventiva contra ele”, disse a delegada.

Ainda segundo a policial, o preso tem envolvimento em outros crimes, como o tráfico de drogas na área do Cristo e ainda participação em vários casos de roubo na região. Matheus Araújo foi ouvido em depoimento na Central de Polícia e encaminhado para a Penitenciária Desembargador Flósculo da Nóbrega (Róger), onde vai aguardar a decisão judicial.

Outras prisões – A Delegacia de Roubos e Furtos da Capital cumpriu também, nessa quarta-feira (5), um mandado de prisão contra Paulo Joaquim da Silva Júnior. Ele é suspeito de participar do roubo à Escola Estadual Luzia Simões Bartolini, no Jardim Planalto, no mês de junho deste ano. Na época, quatro homens invadiram o colégio, usando a violência para roubar celulares e outros materiais de alunos e professores.

“Duas pessoas relacionadas a esse crime já foram presas e a Delegacia de Roubos e Furtos já identificou os outros dois envolvidos. As diligências continuam e mais prisões virão. Quem tiver qualquer informação sobre o caso pode acionar a Polícia via o número 197 – Disque Denúncia da Secretaria da Segurança e Defesa Social. A ligação é gratuita e o sigilo é garantido”, disse a delegada adjunta Emília Ferraz.