Polícia Civil desarticula grupo responsável por roubos no Brejo paraibano

Polícia Civil desarticula grupo responsável por roubos no Brejo paraibano

Policiais civis da 8ª Delegacia Seccional de Guarabira numa operação conjunta com policiais militares do 4º Batalhão, desarticularam nas primeiras horas desta segunda-feira (14), uma quadrilha especializada em roubos a residências e estabelecimentos comerciais nas cidades de Bananeiras, Borborema, Serraria, Belém, Areia e Arara no Brejo paraibano.

A operação batizada de “Manitu” recebeu este nome porque a polícia descobriu durante as investigações que era nesta localidade que o grupo se escondia depois de praticar as ações criminosas.  As informações sobre a quadrilha começaram a ser colhidas há cerca de uma semana depois de uma denúncia anônima feita para o telefone 197 Disque Denúncia da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (SEDS).

Segundo o denunciante, os responsáveis pelos roubos estavam escondidos na zona rural de Bananeiras. A partir daí, as polícias realizaram rondas e conseguiram prender o primeiro suspeito, que estava escondido no sítio Cardeira. Ele levou a polícia até outros dois membros do grupo, que foram encontrados no sitio dos Cocos. Já o quarto integrante estava no sitio Manitu.

“Eles são bastante violentos, quebravam as portas das residências das vítimas usando pedras ou atiravam. Durante os roubos, os suspeitos agrediam crianças, idosos e chegaram a estuprar algumas vítimas. Uma das armas usadas nas ações criminosas, uma espingarda calibre 12, foi apreendida na casa de um dos suspeitos”, disse o delegado seccional de Guarabira, Walber Virgolino, responsável pelas investigações.

A quadrilha praticava os roubos durante a noite ou nos fins de semana. Para fugir da polícia o grupo criminoso se escondia nos 500 hectares de mata fechada que fica no sítio Manitu, isso dificultava as perseguições policiais. Os suspeitos presos hoje foram ouvidos e encaminhados para o Presídio Regional de Guarabira, onde vão aguardar pela sentença da Justiça.

Mas de acordo com o delegado Walber Virgolino, as investigações sobre o caso não vão encerrar aqui. “Vamos continuar  fazendo rondas na região para identificar e prender os outros integrantes deste grupo , já que as nossas investigações mostraram que o bando é formado por mais de dez pessoas”, concluiu o delegado.