Polícia desarticula quadrilha especializada em desmanches de veículos

A repressão qualificada aos roubos e furtos de veículos Paraíba resultou na prisão de Regivandro Paz da Silva, 42, e na apreensão de uma adolescente de 16 anos, na manhã desta quinta-feira (19), na cidade de Bayeux, região metropolitana de de João Pessoa. Com o trabalho, um esquema de desmanche de carros foi desarticulado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas da Capital. Dois carros roubados foram recuperados e ainda várias peças.

 

De acordo com o delegado titular da unidade especializada, Nélio Carneiro, a ação policial aconteceu no bairro de Boa Vista. “O esquema foi desarticulado com trabalho de investigação efetiva. Havia quatro pontos-base de atuação, sendo três em Bayeux e um no bairro do Cristo em João Pessoa”, explicou o policial. Ele ainda acrescentou que o principal alvo dos envolvidos eram os veículos populares, cujas peças têm maior facilidade de venda. A polícia também vai investigar o possível envolvimento de comerciantes na venda do material.

 

 

“Um dos pontos-base deles abrigava os carros roubados e furtados, já o outro servia para guardar as peças. Havia até uma cadeirinha de bebê e várias vítimas já se dirigiram até a delegacia para tentar reconhecer seus bens. Ainda temos a informação de que Regivandro participava dos roubos e furtos e quem reconhecê-lo pode se dirigir à delegacia também, pois isso é muito importante”, enfatizou o delegado. O preso vai responder pelos crimes de receptação e corrupção de menores e a adolescente vai ser encaminhada à Delegacia da Infância e Juventude (DIJ).

 

   

 

População pode  denunciar – O delegado Nélio Carneiro reforçou que a população é importante no enfrentamento à violência. Segundo ele, qualquer informação sobre suspeitos de roubos e furtos de veículos ou localização de desmanches pode ser repassada pera o telefone disponibilizado pela Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Seds). “A ligação para o 197 é gratuita e é garantido o sigilo do denunciante”, lembrou.