Polícia divulga balanço de prisões e apreensões de armas e drogas realizadas em Campina Grande em 2015

Polícia divulga balanço de prisões e apreensões de armas e drogas realizadas em Campina Grande em 2015

A Delegacia de Crimes contra o Patrimônio de Campina Grande divulgou, nesta quinta-feira (7), dados atualizados do balanço de operações, prisões e apreensões de armas e drogas realizadas no ano de 2015. Ao todo, foram presas 197 pessoas. Desse total, 149 pessoas foram presas ou apreendidas em flagrante. Já os presos por força Mandados de Prisão expedidos pela Justiça chegaram a 48.

Em relação à apreensão de armas, os dados revelam que em 2014 foram retirados de circulação 19 revólveres e em 2015 esse número aumentou para 32. Também foram apreendidas sete pistolas em 2014 e 12 em 2015. A quantidade de espingardas diminuiu, sendo 11 em 2014 e quatro em 2015. Já os rifles houve apenas uma apreensão em 2014 e três em 2015. Em dados gerais, foram retiradas de circulação 38 armas em 2014 e 52 em 2015 na região de Campina Grande.

O balanço da DRF de Campina Grande revela ainda que a apreensão de crack e cocaína em 2014 foi maior do que a de 2015. Por outro lado, a quantidade de maconha apreendida subiu consideravelmente. Em 2014 foram apreendidos 3,467 kg de crack/cocaína e em 2015 foram 3,303 kg. Já a maconha teve 147,316 kg apreendidos em 2014 e 844,338 kg em 2015.

A recuperação de veículos roubados é outra ação desenvolvida pela DRF em Campina Grande. Os números revelam que foram recuperadas 22 motos em 2014 e 33 em 2015. Já os carros, caminhões e outros veículos foram recuperados 32 em 2014 e 54 em 2015. Com isso, o trabalho realizado pela DRF recuperou 54 veículos roubados em 2014 e 87 em 2015.

“A Delegacia de Roubos e Furtos é responsável pelo registro de roubos de veículos, de casos que se caracterizam tráfico de drogas e ainda em crimes relacionados a explosões de bancos. Só este ano prendemos mais de 40 pessoas envolvidas em ações envolvendo Instituições bancárias. Realizamos um trabalho investigativo de qualidade, com levantamento de informações e ações de campo, o que está diretamente relacionado a prisões de criminosos, quadrilhas desarticuladas e drogas e armas fora de circulação”, frisou o delegado Danilo Orengo.

Equipe e operações - A Delegacia de Roubos e Furtos é formada por 18 pessoas, entre delegados, agentes de investigação e escrivães. As equipes se revezam em trabalhos de pequeno, médio e grande porte, como a ‘Boy Play’ realizada no mês de novembro deste ano. Na ação, a DRF prendeu um dos homens mais procurados pelos crimes de falsificação e adulteração de cartões de crédito no Brasil: Bruno Alves da Silva, de 31 anos, preso no bairro do Catolé, por cumprimento de mandado de prisão preventiva.

“Ele já tinha sido preso no Rio de Janeiro e há um ano Bruno estava cumprindo pena no regime semiaberto quando não mais voltou ao sistema prisional e veio para a Paraíba, especificamente a Campina Grande. O seu comportamento aqui chamou a atenção da polícia judiciária, pela ostentação e gastos praticados. O nome da operação faz referência a como Bruno era conhecido dentro da organização criminosa, da qual ele fazia parte. Essa operação foi destaque nacional e a investigação da DRF foi cautelosa e bem criteriosa. Agimos quando tínhamos provas suficientes das ações do Bruno e de como ele era importante dentro de uma quadrilha”, concluiu Danilo Orengo.