Polícia prende acusados de serem mandante e executor do assassinato da diretora da Cadeia Pública de Ingá

Polícia prende acusados de serem mandante e executor do assassinato da diretora da Cadeia Pública de Ingá

As Polícias Civil e Militar da 9ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp), com sede na cidade de Itabaiana, realizaram no início da manhã desta terça-feira (22) a Operação Sentinela, que resultou na prisão dos acusados de serem o mandante e o executor do homicídio que teve como vítima a diretora da Cadeia Pública de Ingá, Córdula Veloso Borges, assassinada a tiros no dia 20 de outubro de 2015, dentro de um carro quando seguia para o trabalho. A ação teve o apoio de equipes da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) e Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital.

 

De acordo com o delegado Hugo Lucena, a operação foi desencadeada na cidade de Itatuba após a investigação da Polícia Civil indicar que a morte da diretora teria sido encomendada. “Conseguimos os mandados de prisão dos envolvidos. O crime foi bem articulado, ele teria sido encomendado pelo Ednaldo Ferreira de Andrade, de 42 anos. O suspeito teria se desentendido com a vítima após ela espalhar algumas observações sobre uma pequena empresa de vigilância que funcionava em duas cidades: Itatuba e Ingá. O suspeito então contratou dois homens para realizar a execução”, disse o delegado.

 

Foram presos: Ednaldo Ferreira de Andrade, de 42 anos e conhecido por ‘Nau’, e também Eliomar Brito Coutinho, de 33 anos, conhecido pelo codinome de ‘Má’. Ainda tem uma terceira pessoa foragida, que já foi identificada. “Os dois presos já tinham mandados de prisão por outros crimes, como tentativa de homicídio. O Eliomar é foragido da Justiça e foi preso por equipes das Delegacias de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) e Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, no bairro do José Américo, em uma casa que lhe servia de esconderijo. No momento da prisão, o Eliomar foi flagrado com uma pistola, que foi apreendida pelos policiais. Os dois vão responder por associação criminosa e homicídio qualificado e um deles também por posse ilegal de arma de fogo”, reforçou o delegado Hugo Lucena.

Relembre o caso – A diretora da Cadeia Pública do município de Ingá, na Paraíba, Córdula Veloso Borges, foi morta a tiros dentro de um carro na BR-230, quando seguia para trabalhar. A vítima tinha saído de casa quando outro veículo emparelhou com o dela e um ocupante disparou várias vezes. Dois familiares de Córdula também estavam no veículo, mas não ficaram feridos.