Polícia prende casal suspeito de vender carro com restrição judicial

 Polícia prende casal suspeito de vender carro com restrição judicial
A Polícia Civil por meio da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa  prendeu em flagrante na tarde dessa terça feira (31) um casal suspeito de praticar fraudes na negociação de veículos com restrições judiciais.O corretor de imóveis  Luciano Bezerra Ferreira, 41 anos e a mulher dele, Amélia Oliveira Ferreira, 32 anos, foram presos quando mostravam um imóvel a um cliente localizado no bairro do Bessa na zona Leste da Capital.
Os suspeitos foram denunciados na DDF por uma vítima. “A pessoa procurou a polícia informando que comprou um carro a Luciano a cerca de dois meses. Como pagamento ela teria dado o veiculo dela no valor de 20 mil e depositou mais 20 mil em dinheiro na conta do suspeito. Na hora da transação Luciano recebeu o recibo de transferência do carro da vítima e falou que dois dias depois entregaria o do veiculo que ele vendeu. Depois disso ele e a esposa não foram mais encontrados pela vítima”, disse o delegado Lucas Sá.
A partir dessas informações a polícia descobriu que o veiculo utilitário comercializado por Luciano estava com uma ordem Judicial de busca e apreensão expedida no ano de 2013 pela 3ª da Justiça. Foram realizadas diligências para encontrar o casal e na manhã de hoje os agentes de investigação receberam a informação que Luciano e Amélia iam mostrar um imóvel que pertence a eles no bairro do Bessa. Foi montada uma campana e na hora que os suspeitos apareceram foram presos.
O levantamento policial também mostrou que o carro da vítima já tinha sido revendido em uma loja de veículos da Capital. Luciano já foi preso em Pernambuco por falsificação de documentos. Agora ele e a esposa foram autuados por falsidade ideológica e estelionato. Amélia também vai responder na justiça por desacato a autoridade porque no momento da prisão ela teria falado que os policiais tinham recebido dinheiro de alguém para prender ela e o marido. Luciano e Amélia vão aguardar a audiência de custódia recolhidos na carceragem da Central de Polícia no Geisel.