Polícia prende dono de casa lotérica suspeito de praticar agiotagem

Polícia prende dono de casa lotérica suspeito de praticar agiotagem

Policiais civis da 15ª Delegacia Seccional de Patos, no Sertão da Paraíba, prenderam na tarde desta quarta-feira (6) Mauricio Vieira Pereira, 50 anos, dono de uma casa lotérica e suspeito de prática de agiotagem. A polícia chegou até ele depois de receber informações repassadas para o telefone Disque Denúncia 197 da Secretaria da Segurança e da Defesa Social.

As investigações começaram há dois meses e durante todo este tempo Mauricio foi monitorado, assim como todo o movimento na casa lotérica dele, que funciona há 12 anos na cidade Patos. Durante as campanas, os agentes de investigação observaram que o empréstimo de dinheiro de forma ilegal era realizado no estabelecimento.

E a partir da confirmação da denúncia, foi pedido o mandado de busca e apreensão na casa lotérica. O documento foi expedido pela Justiça na manhã desta quarta-feira e foi cumprido horas depois. No escritório do prédio público de concessão da Caixa Econômica Federal, os policiais encontraram 700 mil reais fora do cofre, uma arma, munições, documentos de empréstimos de dinheiro, documentos de carros com notas promissórias assinadas no valor dos veículos.

O material comprova a prática do crime de agiotagem denunciada pelas vítimas que procuram a delegacia depois da prisão do suspeito. Segundo elas, Mauricio emprestava dinheiro a juros há cerca de 5 anos e quando não conseguiam saldar as dívidas eram ameaçadas por ele. As vítimas também confirmaram que a prática ilegal era realizada dentro da casa lotérica para não levantar suspeita.

Mauricio vai responder na Justiça por agiotagem, posse ilegal de arma e ameaça.  “A descoberta da agiotagem praticada por Mauricio foi muito importante, pois agora as investigações podem nos levar a outros crimes praticados por ele. Já identificamos e ouvimos várias vítimas e vamos fazer um levantamento para saber se ele também sonegava impostos. Além disso, estamos pedindo para Caixa Econômica Federal o cancelamento da concessão da lotérica”, disse o delegado seccional Sylvio Rabelo.