Polícia Civil prende em julho 11 suspeitos de fraudes na capital que somam mais de R$ 2,5 milhões

Polícia Civil prende em julho 11 suspeitos de fraudes na capital que somam mais de R$ 2,5 milhões

A Polícia Civil da Paraíba prendeu, no mês de julho, 11 suspeitos de praticar fraudes e falsificações que ultrapassam a quantia de R$ 2,5 milhões e apreendeu documentos, veículos, equipamentos eletrônicos e cheques bancários. Essas ações são resultado do trabalho especializado realizado pela Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa.

Segundo o delegado Lucas Sá, mais de 1.500 inquéritos policiais tramitam atualmente na Delegacia de Defraudações e Falsificações da Capital. “O trabalho desenvolvido pela DDF vem sendo aperfeiçoado diariamente. Com vistas a alcançar nossos objetivos, buscamos atuar de maneira sistemática, organizada e eficiente, dando uma resposta à sociedade paraibana em razão das condutas criminosas que chegam às nossas equipes, sobretudo em relação às fraudes com utilização de documentos públicos e cartões bancários”, destacou. 

O balanço das atividades aponta para operações como a “Trojan”, deflagrada no último dia 27 e que conseguiu desmantelar uma gang especializada na clonagem de cartões de crédito. Nessa operação foi cumprido mandado de prisão preventiva de Jorge Oliveira de Souza e Leandro Ferreira de Brito.

Outra ação culminou com a prisão preventiva do personal trainer e comerciante Anselmo Augusto Moreira Junior. “Anselmo é investigado em mais de dez inquéritos em tramitação na DDF, suspeito de ter causado um prejuízo superior a R$ 2 milhões em fraudes relacionadas à negociação de veículos e imóveis, além da emissão de cheques bancários. O personal é suspeito de atuar em conjunto com Alexandre Borges Aragão e Marcelo de Andrade, ambos foragidos, além de atuar com Alexandro Fonseca Gomes, recolhido ao presídio do Roger, onde aguarda julgamento”, informou o delegado titular da DDF.

No dia 13 de julho, foram dados cumprimentos a dois mandados de prisão preventiva em desfavor de Edson César Azevedo, considerado um dos estelionatários mais lesivos em investigação na Delegacia de Defraudações. Segundo o delegado Lucas Sá, o suspeito possui seis CPF´s registrados em seu nome e já causou fraude superior a R$ 1 milhão relacionada à abertura de empresas, negociação de veículos e contratação de empréstimos consignados.

No dia 9 de julho, a polícia prendeu em flagrante Vânio Pires Azevedo, natural do Estado do Maranhão e suspeito de utilizar documentos falsos para a abertura de contas bancárias e contratação de empréstimos consignados. De acordo com as investigações, ele vinha agindo há pelo menos dois meses em João Pessoa.

Ainda em julho, no dia 3, a equipe da Delegacia de Defraudações realizou a prisão em flagrante de Mayra Margot e André Felipe. Ela é acusada de atuar como médica veterinária, atendendo em domicílio e utilizando o registro do conselho regional da categoria de uma profissional atuante na Capital. “Mayra foi presa em flagrante juntamente com seu comparsa, responsável pela fabricação dos receituários utilizados nas consultas médicas, que resultaram na morte de vários animais em João Pessoa”, concluiu.