Polícia prende falso corretor de imóveis que causou prejuízo de R$700 mil

Polícia prende falso corretor de imóveis que causou prejuízo de R$700 mil

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa, prendeu na tarde desta quarta-feira (6) Hélcio Patrício Cordeiro Ribeiro, 28 anos, suspeito de negociar três imóveis localizados nos bairros Jardim Cidade Universitária, Bancários e Cabedelo, região metropolitana da Capital. A venda ilegal teria causado um prejuízo de mais de R$ 700 mil para as vítimas.

 

As investigações mostraram que Hélcio Patrício se passava por corretor de imóveis e acompanhava as vítimas até as casas supostamente comercializadas por ele. Como tinha uma boa conversa, mostrava conhecimento na área de vendas e apresentava documentação, assim as pessoas não suspeitavam que estavam diante de um falso corretor. Sem desconfiar elas concluíam a negociação e pagavam o valor cobrado por ele.

 

O crime só era descoberto algum tempo depois por causa da demora na transferência dos imóveis para os novos proprietários e das informações contraditórias apresentadas pelo suspeito. A partir disso as vítimas começaram a procurar informações sobre Hélcio Patrício e descobriram que ele não era corretor de imóveis e que estava comercializando casas e apartamentos sem autorização ou conhecimento dos donos. Desta forma ele estaria recebendo de maneira ilícita os valores pagos pelas negociações.    

 

“A Delegacia de Defraudações e Falsificações descobriu que o suspeito vinha negociando imóveis de forma fraudulenta em João Pessoa há cerca de um ano, de maneira que pode ter lesado várias pessoas na Capital. Hélcio Patrício chegou a anunciar alguns imóveis em sites de vendas. Descobrimos também que o suspeito já foi autuado pela fiscalização do Creci/PB, por exercício ilegal da função de corretor de imóveis”, disse o delegado titular da DDF, Lucas Sá.

 

Hélcio Patrício foi preso em flagrante no bairro do Bessa. Ele vai responder pelos crimes de estelionato e exercício ilegal da profissão. O suspeito vai aguardar na carceragem da Central de Polícia no Geisel pela audiência de custódia que vai determinar se ele será encaminhado para o presídio do Roger. Agora as investigações continuam para descobrir quantas vítimas foram lesadas pelo falso corretor de imóveis e se ele contou com a ajuda de outras pessoas para realizar os golpes.