Polícia prende homem suspeito de agredir fisicamente e ameaçar companheira de 17 anos

Polícia prende homem suspeito de agredir fisicamente e ameaçar companheira de 17 anos

A Polícia Civil, por meio de uma ação da Delegacia de Crimes contra a Infância e Juventude (DCCIJ), prendeu, nesta quarta-feira (27), em João Pessoa, Jordaney Gomes Ferreira, 24 anos, suspeito de agredir fisicamente e de forma continuada a própria companheira, de 17 anos. De acordo com a Polícia, o homem estava sob liberdade condicional por porte ilegal de arma de fogo e ainda descumpriu medida protetiva em benefício da adolescente, pela prática de violência doméstica. O trabalho policial também teve o apoio da Delegacia da Infância e Juventude (DIJ).

“Ele foi preso hoje pela manhã no bairro João Paulo II, na casa de familiares, onde estava se escondendo. A denúncia sobre a violência foi feita pela família da adolescente à Polícia Civil, que iniciou os procedimentos necessários para o flagrante. A jovem apresenta hematomas e registrou que as agressões físicas e psicológicas eram constantes. Ainda contou que ficava trancada dentro de casa e que não só ela como a família era ameaçada de morte”, explicou a delegada Graça Moraes, acrescentando que a adolescente e Jordaney têm uma filha de menos de um ano e se relacionam há pelo menos dois.

A delegada da 1ª Seccional, que abrange toda a zona Norte de João Pessoa, Emília Ferraz, afirmou que o preso é considerado um agressor contumaz e também é investigado pela prática de assaltos. “É importante que esse tipo de ocorrência chegue à Polícia e que as pessoas denunciem. Agressões como essas merecem uma resposta rápida das forças de segurança e prisão dos suspeitos, a exemplo deste caso. Por isso, é necessário o registro na unidade policial ou denúncia por meio do 197, cuja ligação é gratuita”, frisou.

Jordaney ainda está sendo investigado pela prática de assaltos na Capital. Ele foi atuado pelos crimes pelas agressões e ameaças com base nos artigos 129, parágrafo 9º, e 147 do Código Penal Brasileiro (CPB) e foi encaminhado ao Poder Judiciário para audiência de custódia.