Polícia prende na Capital homem suspeito de pistolagem em Catolé do Rocha

Polícia prende na Capital homem suspeito de pistolagem em Catolé do Rocha

A Polícia Civil da Paraíba, por meio de seu Grupo de Operações Especiais (GOE), cumpriu na tarde da segunda-feira (9) em João Pessoa, mandado de prisão temporária em desfavor de Ubiraci Rocha, de 39 anos, suspeito de fazer parte de um esquema criminoso de pistolagem, relacionado a homicídios registrados na cidade de Catolé do Rocha, no Sertão paraibano.

De acordo com o titular do GOE, delegado Allan Terruel, a prisão ocorreu dentro de uma agência bancária no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. “Ele fugiu do Sertão para tentar evitar ser localizado pela Polícia e já tinha dito que não seria preso e não aceitaria ser processado, se deslocando para a Capital. Ontem à tarde, recebemos a determinação do delegado geral, João Alves, para que efetuássemos a prisão com base em informações sobre a localização de Ubiraci, repassadas pela 18ª Delegacia Seccional de Catolé do Rocha. Ubiraci estava realizando uma transação financeira na agência bancária, já que é servidor daquele município, quando foi abordado por agentes do GOE, que cumpriram o mandado de prisão temporária sem que houvesse reação”, disse a autoridade policial.

Segundo as investigações, o nome de Ubiraci está ligado a assassinatos no Sertão paraibano, como mandante, articulador dos crimes ou executor.

“Para a região, essa é uma ação importante, porque esse homem era temido e causava terror nas pessoas. É ainda uma prisão sensível, por se tratar de um pistoleiro, e reflete o apoio que o GOE dá às superintendências de Polícia Civil, nos casos em que há alvos sensíveis que reclamam o desenvolvimento de uma ação tática, cumprindo determinações diretas do delegado geral de Polícia Civil e do secretário da Segurança”, ressaltou Terruel.

Depois de preso, Ubiraci foi deslocado para a sede do GOE e submetido a exame de corpo de delito no Instituto de Polícia Científica (IPC). Ele permanece preso na Central de Polícia Civil, no bairro do Geisel, onde aguarda transferência para Catolé do Rocha.