Polícia prende suspeito de praticar golpe contra empresa de segurança na Capital

Polícia prende suspeito de praticar golpe contra empresa de segurança na Capital

Policiais Civis da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital prenderam em flagrante, nessa segunda-feira (2), o comerciante Rondinelli Carvalho de Oliveira, 29 anos, natural da cidade de Castanhal, no Pará. Ele começou a ser investigado há cerca de um mês, quando o dono de uma empresa de equipamentos eletrônicos de segurança privada procurou a delegacia para informar que estava sendo lesado por um ex-funcionário.

 

De acordo com a vítima, Rondinelli foi demitido da empresa em janeiro deste ano e levou as informações do banco de dados dos clientes. A partir daí, passou a visitar as pessoas como se ainda trabalhasse na empresa, fechando contratos de manutenção de equipamentos e vendendo sistemas de segurança. Só a uma pessoa, ele teria vendido mais de R$ 50 mil. A pratica criminosa só foi descoberta porque o dono da empresa que Rondinelli trabalhava estranhou a falta de pagamento de alguns clientes.

O empresário fez uma visita aos estabelecimentos onde tinha contratos e foi informado que os valores dos equipamentos estavam sendo pagos a Rondinelli, através de recibos que ele assinava como se ainda fosse funcionário da empresa de equipamentos de segurança privada. Com as informações, os policiais começaram a monitorar as ações do suspeito aguardando o momento em que ele fosse até outra vítima para aplicar o golpe. A prática criminosa foi confirmada quando ele recebia o dinheiro em uma empresa no bairro da Torre, na Capital.

“No momento da prisão, Rondinelli disse que fazia a cobrança dos equipamentos e os contratos com autorização do dono da empresa que trabalhava, mas sabemos que é mentira porque o próprio dono denunciou o ex-funcionário. Inclusive, ele mostrou que só nos primeiros levantamentos Rondinelli já deu um prejuízo de mais de R$ 200 mil a empresa, recebendo os alugueis dos equipamentos, fazendo contratos e vendendo sistemas de segurança eletrônicos”, disse o delegado titular de Defraudações e falsificações, Lucas Sá.

No momento da prisão, os policiais encontraram com o suspeito vários recibos e um contrato assinado por ele. Uma agenda com os nomes dos clientes e os tipos de serviços prestados também foi apreendida, além de contratos, recibos em branco e um carimbo com o nome e razão social da empresa de equipamentos eletrônicos lesada.

Rondinelli foi encaminhado para a delegacia e depois de ouvido autuado por estelionato. O suspeito vai aguardar na carceragem da Central de Polícia no Geisel pela audiência de custódia, se for determinada a prisão preventiva, Rondinelli será encaminhado para o presídio do Roger para aguardar pela sentença da Justiça.