Polícia prende suspeitos de homicídios em Campina Grande

Polícia prende suspeitos de homicídios em Campina Grande

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) de Campina Grande, prendeu quatro pessoas suspeitas de vários homicídios na região da zona Leste da Cidade e também no bairro de São Januário. Foram presos: Mário Augusto da Silva, Cássio da Silva Alves. Jonatha Oliveira da Silva Pontes e Júlio César Alexandre do Nascimento

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Francisco de Assis, foram expedidos seis mandados de prisão contra esses suspeitos, alguns deles possuíam dois mandados em aberto, “Nós começamos a investigar homicídios ocorridos na zona Leste de Campina Grande este ano e chegamos a autoria dos casos. Recebemos informações via o número 197- Disque Denúncia da Secretaria da Segurança e Defesa Social (Seds) e também por depoimento de algumas pessoas próximas às vítimas”, disse o delegado.

Ainda segundo a autoridade policial, três dos quatro presos formavam uma quadrilha criminosa organizada que agia em vários crimes na região da zona leste de Campina Grande. Os suspeitos vão responder pelo crime de homicídio duplamente qualificado e já foram encaminhados para uma Unidade Prisional de Campina Grande, onde vão aguardar as decisões Judiciais. 

Mais Prisões - A Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) de Campina Grande prendeu na tarde desta quinta-feira (15), Jonas Ancelmo Viana Farais e Jerfferson Felipe Coelho. Eles são suspeitos de porte de arma compartilhada, participação e também de envolvimento em casos de explosões de caixas eletrônicos 

Segundo o titular da especializado, Danilo Orengo, já existiam em desfavor dos investigados mandados de prisão. “Os dois sãoarticuladores em explosões a instituições bancárias e alvos de operação por parte da Polícia Federal e da nossa Especializada. O veículo em que se encontravam tinha uma restrição administrativa. Com eles foramapreendidos quase RS 11 mil em espécie e algumas notas com pigmentação avermelhada”, disse Orengo