Polícia reprime golpes em João Pessoa e prende 43 por fraudes e falsificações este ano

Polícia reprime golpes em João Pessoa e prende 43 por fraudes e falsificações este ano

A Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa termina o ano de 2015 com um saldo positivo de instauração e movimentação de inquéritos, além da prisão de 43 pessoas responsáveis pela prática de golpes no Estado. A unidade especializada da Polícia Civil da Paraíba  ainda realizou 526 oitivas e cumpriu 146 ordens de missão até o último mês deste ano. Hoje, são 1.800 Inquéritos Policiais tramitando, dos quais 315 foram instaurados de janeiro ao início de dezembro.

Os números da DDF foram apresentados durante coletiva de imprensa, na Central de Polícia Civil em João Pessoa, na tarde desta quinta-feira (17). Segundo o delegado titular da unidade especializada, Lucas Sá, para obter esses resultados a delegacia foi fortalecida com mais uma equipe de delegado, agentes de investigação e escrivão. “Os servidores policiais passaram a atuar com regime de metas mensais de produtividade, sendo responsáveis pela execução de operações de destaque como ‘Tojan’ e ‘Playboy’. 960 ocorrências foram registradas até o início do mês de dezembro, o que demonstra que a população está denunciando mais e nossa equipe está de prontidão para iniciar as investigações e, assim, chegar aos suspeitos o mais rápido possível”, afirmou a autoridade policial.

Em relação ao número de prisões, o delegado Lucas Sá informou que foram decretadas 57 prisões pela Delegacia de Defraudações e Falsificações em 2015, das quais 43 foram cumpridas e 14 suspeitos continuam foragidos. “O trabalho da DDF é sigiloso e as investigações estão mais voltadas para a análise de documentos. Em casos específicos também há a integração com a Polícia Militar, como em casos de prisão em flagrante e isso demonstra que nenhum órgão pode trabalhar de maneira isolada”, explicou o delegado.

Atualmente a DDF conta com dois delegados, dois escrivães e oito agentes. “Com poucas mudanças, em especial com a substituição de alguns servidores e o incremento na equipe, conseguimos aumentar significativamente o volume de trabalho desempenhado nesta delegacia, que passou a atuar com regime de metas mensais de produtividade estabelecidas para todos os servidores lotados na DDF”, concluiu.

Operações de destaque – Entre as operações realizadas pela delegacia especializada  no ano de 2015, uma das mais importantes foi a ‘Trojan’, que culminou com prisão preventiva de João Mirle Vale Leal. Ele realizava a clonagem de cartões de crédito e atuava no crime organizado com, pelo menos, mais seis outros suspeitos.

Também teve destaque a prisão de um comerciante, Nuno Henrique, que negociava automóveis de luxo em João Pessoa. O prejuízo do crime praticado por ele chegou a mais de R$ 1 milhão. Seguindo a mesma linha de investigação, outro comerciante de nome Alexandro Fonseca Gomes foi preso por negociar a compra de venda de automóveis causando um prejuízo de cerca de R$ 1,5 milhão.

Outra operação importante foi a “Famulato”, que culminou com o desfecho do assalto de um restaurante no bairro do Bessa, na Capital.  Neste caso, a equipe da Delegacia de Defraudações e Falsificações conseguiu prender o gerente do restaurante, responsável pelo desvio de R$ 800 mil do estabelecimento.