Polícia se reúne com comunidade em Cabedelo para tratar de segurança nas escolas

Polícia se reúne com comunidade em Cabedelo para tratar de segurança nas escolas

Gestores das Polícias Civil e Militar se reuniram, na manhã desta quinta-feira (19), com representantes da Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, localizada no bairro de Camalaú, em Cabedelo. O objetivo do encontro, que contou com a presença de diretores, professores, alunos e pais, foi tratar da segurança nas instituições de ensino e entorno, a fim de prevenir a ocorrência de crimes nessas áreas.

Para o delegado Ademir Fernandes, da 3ª Seccional de Polícia Civil, a reunião foi bastante positiva, com mais de cem pessoas presentes. “A escola tem sido alvo de arrombamentos e a merenda é o principal objetivo dos bandidos. Em relação à Polícia Civil, comunicamos à população que as investigações estão em andamento no sentido de identificar e prender as pessoas responsáveis por isso. Também nos foi informado que, a partir desta semana, a unidade escolar passa a contar com vigilantes, o que não havia”, afirmou o delegado.

O comandante da 6ª Companhia Independente de Cabedelo, major Magno, se comprometeu em reforçar as rondas nas ruas próximas à escola nos horários apontados pelos funcionários e os pais dos alunos como críticos. “Vamos contar com o apoio da guarda municipal nas rondas que serão intensificadas a partir de hoje. Também vamos repassar para o vigilante o número da nossa linha direta da Companhia para que ele entre em contato toda vez que observar a presença de estranhos nas redondezas. Quando isso acontecer os policiais que fazem a ronda serão acionados imediatamente para ir até o local verificar a situação”, disse o major Magno.

Uma nova reunião deve acontecer nos próximos dias, desta vez com todos os diretores das 22 escolas de Cabedelo. No encontro os policiais civis e militares vão ouvir os problemas enfrentados pelos funcionários das escolas e pelos alunos e discutir sugestões para o trabalho ostensivo nas escolas e ruas próximas a elas. As informações vão ajudar a polícia a traçar um plano de ação para combater crimes nas instituições de ensino da cidade.