Polícias Civis da PB e PE prendem nove pessoas suspeitas de integrar quadrilha de explosões bancárias

Polícias Civis da PB e PE prendem nove pessoas suspeitas de integrar quadrilha de explosões bancárias
 
As Polícias Civis da Paraíba e de Pernambuco realizaram na manhã desta sexta-feira (27) a ‘Operação Sem Divisas’, que teve como objetivo o cumprimento de mandados de prisão em desfavor de suspeitos de integrar uma organização criminosa responsável pela prática de roubo qualificado, latrocínio tentado e explosões bancárias entre outros delitos. Em território paraibano, nove pessoas foram presas pelo cumprimento das ordens judiciais e também em flagrante, entre elas o vereador Moisés Marques Sousa, da cidade de Alcantil.
De acordo com o titular da 2ª Superintendência de Polícia Civil na Paraíba, delegado Luciano Soares, a ação de repressão qualificada teve como base investigações desenvolvidas de forma integrada. “Paraíba e Pernambuco trocaram informações sobre os investigados e a consequência foi o deferimento dos mandados judiciais pela comarca de Macaparana. A Polícia Civil da Paraíba deu apoio à operação empregando 45 policiais. Destacamos a integração que deve existir entre as polícias judiciárias, principalmente aquelas que fazem divisa”, frisou a autoridade policial. Além da cidade de Alcantil, outras prisões foram realizadas em Campina Grande e Alagoa Grande. Durante as buscas, foram apreendidas três pistolas (.45, 9mm e 380), além de R$ 3 mil.
De acordo com a Polícia Civil de Pernambuco, as investigações tiveram início há aproximadamente nove meses e na operação foram empregados 245 policias de ambos os estados, para cumprimento de 45 mandados judiciais sendo 16 de prisão temporária, três de condução coercitiva e 26 de busca e apreensão. Dos mandados de prisão decretados, três se relacionam a alvos que atualmente estão dentro do sistema penitenciário.
Na Paraíba, os presos em flagrante foram conduzidos para Central de Polícia de Campina Grande, onde permanecem à disposição do Poder Judiciário para audiência de custódia. Já os presos por cumprimento de mandado serão encaminhados para o estado de Pernambuco.