Titular da Delegacia de Homicídios da Capital assume investigações sobre morte do ator Marcos Pinto

Titular da Delegacia de Homicídios da Capital assume investigações sobre morte do ator Marcos Pinto

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Crimes contra Pessoa (Homicídios) da Capital, segue com as investigações do assassinato que teve como vítima o ator e diretor de teatro, Marcos Pinto, no mês de dezembro de 2014. Ele foi morto no apartamento onde morava, no bairro de Tambiá. De acordo com o delegado titular da especializada, Reinaldo Nóbrega, que assumiu a presidência do inquérito, em um ano de investigação já foram ouvidas 27 pessoas como testemunhas, entre amigos, familiares e vizinhos.

“Já temos diversos depoimentos de pessoas que conviviam com Marcos Pinto, que viram ele chegar ao apartamento naquela noite. Já temos em mãos o resultado de exame pericial para a identificação de digitais, mas nada foi encontrado. Solicitamos imagens das câmeras de circuito interno, mas no dia do assassinato elas estavam desligadas. Então, estamos levantando dados, confirmando informações para que a gente possa concluir o inquérito”, disse o delegado.

Ainda segundo a autoridade policial, a Delegacia de Homicídios requisitou a perícia no computador da vítima e também no celular. “A Polícia vai ouvir mais pessoas que tiveram contato naquela semana, naquele mês com Marcos Pinto, no intuito de conseguir os detalhes da fisionomia do suspeito, para que a gente requisite um retrato-falado e avance no caso”, finalizou Nóbrega.

Entenda o caso - Marcos Pinto era conhecido pelas inúmeras peças infantis realizadas em, pelo menos 15 anos de teatro e também pelas participações em diversas edições da 'Paixão de Cristo', na Capital. De acordo com amigos, o ator morava em João Pessoa há 20 anos. O corpo de Marcos foi encontrado em seu apartamento no dia 16 de dezembro de 2014. No local, a polícia encontrou garrafas de bebida e as janelas estavam abertas.